Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Running VS Science

Um blog científico cheio de curiosidades sobre a corrida, conselhos para melhorar a performance e entrevistas fenomenais a casos reais de pessoas comuns que venceram na corrida.

16 de Setembro, 2016

Treino de séries - O que é e para que serve

Nádia Santos

14394050_1447695088590360_632522560_o.jpg

 

Muitos corredores, após atingirem uma distância que achem considerável, debatem-se com a questão do ritmo. Isto é, correr a mesma distância em menos tempo! 

Isto é essencialmente importante não só para própria realização pessoal, mas também para corredores que pretendam competir, seja em provas de 6, 8, 10, 21 ou até mesmo 42km! 

Dessa forma, é necessário recorrer a alguns recursos de treino que permitam o aumento da velocidade e a manutenção dum ritmo constante. É aqui que entram os treinos de séries...

 

Mas o que são os treinos de séries?

Treinos de séries são treinos intervalados. Estes treinos, por sua vez, consistem na fragmentação do esforço total, com períodos de recuperação. Isto é, alternar a intensidade do exercício, intercalando picos de esforço (num ritmo de moderado a forte), com pausas de recuperação (em ritmo leve).

 

Na corrida, especificamente, este tipo de treinos consiste na repetição de distâncias que oscilam entre aproximadamente os 200m-3000m a um ritmo rápido, passando por uma fase de recuperação a ritmo leve entre cada série (que deve ter tempo curto, no máximo o equivalente ao tempo de duração do exercício). Assim, os corredores que se submetem a este tipo de treinos são obrigados a variar constantemente entre o metabolismo aeróbico e anaeróbico, o que fortalece o sistema cardiovascular.

 

Como treinar?

 

Bem, a escolha do número de séries, distância das mesmas e ritmo, devem ser diferentes consoante vários factores, como por exemplo a idade do atleta, a sua experiência anterior, o seu nível atlético, entre muitas outras coisas.

 

Aqui ficam algumas ideias de treinos intervalados que podes fazer: Método intensivo (quantidade de séries é relativamente pequena e a intensidade é elevada) ou Método extensivo (quantidade de séries é relativamente maior e a intensidade menor). 

 

*Repetições de 200 metros:

- Intervalado Extensivo: 12x 200m (45" de recup.) - Menos tempo de recuperação

- Intervalado Intensivo: 6x 200m (90" de recup.)

 

Repetições de 400 metros:

- Intervalado Extensivo: 10x 400m (60" de recup.).

- Intervalado Intensivo: 2x (3x 400m) (2' de rec. – repetições e 5' de rec. – séries).

 

Repetições de diferentes distâncias:

- Intervalado Extensivo: 200 + 300 + 400 + 500 + 500 + 400 + 300 + 200 (75" de rec)

- Intervalado Intensivo: 3x (400 + 200) (90" de rec. – repetições e 4' de rec. – series).

 

Repetições de 1000 metros:

- Intervalado Extensivo: 5x 1000m (2.30' de recup.).

- Intervalado Intensivo: 3x 1000m (5' de recuperação)* 

 

O ritmo para cada série depende da performance que pretendem atingir e também da vossa capacidade atual. 

 

Devem em cada série ter sempre em conta que têm que as realizar acima da vossa zona de conforto! Tendo claro em atenção se prentendem um tipo de treino intensivo ou extensivo... A recuperação pode ser feita a "rolar", mas há quem efetivamente no início necessite de caminhar! Faz o teste a ti próprio a ver do que és para já capaz :)

 

E tu? Fazes treinos de séries?

O Running VS Science quer saber tudo! Comenta e partilha o teu método de treino :)

 

Nádia Santos

 

*Fonte: http://atletismo.carlos-fonseca.com/series.htm

** Ritmo 6.00 min/km - Significa que preciso de 6min para completar um kilómetro 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Nádia Santos

    12.03.17

    Boa noite Alfredo,

    Antes de mais, muito obrigada pelas suas palavras :)
    Eu não gosto de aconselhar suplementos, só em caso de situações mesmo necessitadas. Isto é, geralmente começo por aconselhar a ir buscar todos os nutrientes necessários à alimentação: proteína (nas carnes brancas, claras de ovos, frutos secos, queijos magros, etc); hidratos de carbono complexos (massas integrais e arroz integral; aveia; quinoa... salientando que a quinoa também já é rica em proteína e vitaminas. Excelente para desportistas!); gorduras saudáveis (frutos secos, sementes de linhaça e girassol.. De salientar que o girassol é rico em magnésio, mais uma vez excelente para desportistas)... Muita fruta, legumes, etc...
    A necessidade de suplementação advém depois da forma como o desportista se sente... Por exemplo, em casos de fadiga excessiva, talvez uma suplementação de potássio e magnésio... No caso de sistema imune em baixo, os probioticos e glutamina... Em caso de necessidade de construção de massa muscular, a proteína whey (ou se for vegetariano, a proteína vegetal da gold nutrition por exemplo)... Depende muito das suas necessidades e claro, sempre que puder, EXTREMA IMPORTÂNCIA consultar um médico, que são os melhores conselheiros :)
    Obrigada,

    Nádia
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.