Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Running VS Science

O objetivo deste projeto é incentivar o início ou a progressão neste desporto fantásico que é o Running, e ensinar através da ciência várias questões relacionadas com o mesmo :)

Running VS Science

O objetivo deste projeto é incentivar o início ou a progressão neste desporto fantásico que é o Running, e ensinar através da ciência várias questões relacionadas com o mesmo :)

02
Nov16

Correr em altas altitudes? A ciência explica porquê

Nádia Santos

hemoglobina.jpg

 

 

Provavelmente já terão ouvido falar de casos de atletas que em alturas pré-provas se isolam em locais de altas altitudes onde treinam até ao dia D, dando como justificação um melhoramento da capacidade respiratória e assim um melhor rendimento na prova.

Outro caso também já conhecido, é por exemplo o de alguns jogadores de futebol, que inclusive já apareceram em treinos com máscaras que dizem simular altas altitudes.

 

Mas afinal, de que forma é que treinar em altitudes melhora o rendimento dos atletas? Existe algum facto científico?

Sim, existe... 

 

Vamos entender então um pouco de ciência! 

 

Como sabem, os nossos eritrócitos (glóbulos vermelhos ou hemácias), são células sanguíneas responsáveis pelo transporte de oxigénio no nosso organismo... Isto acontece, porque possuem umas proteínas muito especiais designadas de hemoglobinas, responsáveis pela ligação ao oxigénio e consequentemente pela sua libertação nos tecidos. 

 

hemoglobina myweb uga edu leg.jpg(Estrutura química da hemoglobina, presente nas hemácias)

 

A hemoglobina, por sua vez, nem sempre possui a mesma afinidade para o oxigénio. Porquê? Porque podem existir outros ligandos que também se liguem à mesma, diminuindo a afinidade do oxigénio. É o caso dum composto chamado 2,3-bisfosfoglicerato (BPG).

 

bisfo.jpeg

 

(Formação do BPG, que advém do metabolismo da glicose... A sua quantidade aumenta em condições de baixa pressão de oxigénio ambiental) 

 

Quando as concentrações de BPG são elevadas, a afinidade para o oxigénio por parte da hemoglobina é muito menor... Logo, a libertação do mesmo para os tecidos é mais eficiente (digamos que a hemoglobina "não gosta de ficar agarrada ao oxigénio e por isso liberta-a").

 

 

Ora, quando estamos em altas altitudes, a pressão parcial de oxigénio é mais baixa e o que o nosso organismo tenta fazer é compensar com uma maior libertação de oxigénio nos tecidos. Para isso o que faz? Aumenta as concentrações de BPG e assim a afinidade para o oxigénio diminui e este é libertado mais facilmente para os tecidos!

Esta adaptação, demora cerca de alguns dias e pode durar alguns dias após a exposição a altas altitudes... Dessa forma, quando o atleta for competir muitos poucos dias depois, a libertação de oxigénio continua a ser muito mais eficiente e a prova corre muito melhor! Menos fadiga, etc. 

 

Para além disso, sabe-se que a exposição durar algumas semanas, pode até ocorrer um aumento do número de eritrócitos! 

 

Percebes agora o porquê destes treinos em altitudes?

 

Para dúvidas, não hesites em deixar mensagem :)