Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Running VS Science

You are a product of science You run Running is a gift of science Um blog científico cheio de curiosidades sobre a corrida, conselhos para melhorar a performance e entrevistas fenomenais a casos reais de pessoas comuns que venceram na corrida.

01
Set16

#Casos Reais - Jaime Santos

Nádia Santos

 

10446286_780124865407713_7939326085018974847_o.jpg

 

Quantos de vós consideram que têm um trabalho sedentário? Talvez poucos seriam os dedos que não se levantavam caso eu fizesse esta pergunta no meio duma multidão.

Grande parte da população tem de facto um trabalho sedentário. Desde passarem o dia sentados em frente a um computador, sentados numa recepção, sentados numa caixa de supermercado, sentados a fazer telefonemas de marketing, ... São poucos exemplos entre milhares de trabalhos sedentários.

Muitas das vezes, aliado a isso, ainda existe a questão do transporte. Quantos de vós vão de carro até ao trabalho e do trabalho para casa? Todo este acumulo de sedentarismo pode conduzir muitas vezes à desistência da prática do exercício físico... O corpo não está habituado a tanto estímulo, custando muito mais e desistindo muito mais facilmente...

Hoje, no #CasosReais desta semana, apresento-vos um caso que venceu o sedentarismo! Essa pessoa é nada mais nada menos do que o meu pai de quem me orgulho muito =) Jaime Santos, 42 anos, informático.  Entre ténis e mergulho é agora... Um autêntico runner!

Conhece já a sua história!

 

 

QUANDO DECIDISTE QUE DEVERIAS COMEÇAR A FAZER DESPORTO? O QUE TE MOTIVOU?

A decisão de começar a fazer algo aconteceu já há alguns anos, creio que por volta de 2008. Tudo se deveu ao facto de sentir necessidade de colocar o corpo em movimento, combater um pouco o sedentarismo e contrariar a evolução da idade… Se bem que sempre fui do tipo ativo, no sentido de gostar de fazer coisas diferentes e por isso ter iniciado no mergulho subaquático em 2004. Mas o grande impulsionador foi o excesso de peso, situação que já tentava ultrapassar há alguns anos, mas sentia claras dificuldades apesar de dietas, alterações radicais na alimentação e consultas em nutricionistas.

254684_141836622569877_3245760_n (1).jpg(Jaime fazendo mergulho, uma das suas paixões)

 

 

NO TEU HISTORIAL DESPORTIVO, NÃO TE INICIASTE IMEDIATAMENTE NA CORRIDA... FALA-NOS UM POUCO ACERCA DISSO.

Comecei por em 2008 tentar procurar uma atividade física que me motivasse e servisse o intento de gastar calorias e aumentar mobilidade e destreza. Sempre detestei correr, nem sei bem porquê… Mas acho que era por facilmente ficar cansado muscularmente e começar com dores. No entanto, a nível cardíaco os médicos sempre me indicaram que tinha batimento cardíaco de desportista, o que indicava que teria grande resistência... o que vim mais tarde a perceber que de facto tenho :)

Portanto, inicia-me no ténis onde fiquei por volta de 6 anos, o que até me permitiu aumentar a resistência muscular das pernas. Foi apenas em 2014, numa nova tentativa de perder peso (tinha por volta de 114 kg), decidi que estava na hora de fazer algo de maior impacto físico e decidi experimentar correr.

 

E COMO FOI COMEÇAR A CORRER? COMO ERAM OS TEUS TREINOS?

Comecei por fazer num dia os 1.500m (com 500m de corrida) … Acabei sentido que podia ir mais longe. Na vez seguinte fiz 3.000m (com 1.000m de corrida) e continuei a sentir que podia ir mais longe. Na vez seguinte fiz 5.000m (com 3.000m de corrida seguidos…sem paragens). Lembro-me bem de pensar que me sentia a evoluir muitíssimo rápido e sempre a sentir que não me cansava a nível cardíaco e pulmonar e lembro de pensar para mim próprio (“a este ritmo, daqui a menos de 2 meses faço uma mini maratona, 8km”…e não é que a fiz logo 2 dias depois deste pensamento !!!!? Fiquei maravilhado.

A partir daí, foquei-me em atingir os 10 Km e em manter a consistência no número de vezes que corria por semana (2 a 3 vezes). Desde 2012 que nunca mais parei de correr. Atualmente faço corrida em ginásio e opto por fazer apenas 5km para poder juntar alguns exercícios musculares.

 

TAL COMO A PRÓPRIA INTRODUÇÃO À TUA ENTREVISTA REFERE, TENS UM DOS TIPOS DE TRABALHO CONSIDERADOS SEDENTÁRIOS... NOTASTE QUE O TEU DIA-A-DIA AFECTOU O INÍCIO NA ACTIVIDADE FÍSICA?

Sim claramente, durante anos acordava, sentava-me no carro e dirigia-me para o meu local de trabalho e trabalhava até as 22H e mais, pelo que chegava a casa e era comer e ir para a cama.

Trabalho na área de IT em consultoria de aplicações, pelo que o meu dia-a-dia era levantar, comer, sentar no carro, sentar na secretária ao computador, levantar para ir almoçar, sentar no restaurante, levantar e voltar a sentar na secretária e novamente daí para carro.

Mas o sedentarismo somos nós que o promovemos…por dedicação excessiva ao trabalho, por preguiça, etc. No meu caso era dedicação excessiva e tive de reequacionar prioridades. Hoje em dia faço uma dedicação ajustada e aproveito a hora de almoço para fazer exercício (coisa que antes para mim era impensável) ou então opto por ir ao final do dia. Lembro-me que quando comecei a correr…cheguei a fazê-lo à chuva às 22H da noite.

Tudo passa apenas por estarmos motivados. Se estivermos, arranjaremos sempre algum tempo

 

O QUE FOI MAIS COMPLICADO AQUANDO A INICIAÇÃO NO RUNNING E APÓS 6 ANOS NO TÉNIS?

Antes de mais reconheço que o facto de ter praticado ténis me fortaleceu muscularmente ao nível das pernas e me deu maior resistência, e que isso facilitou a fase inicial da corrida, isto porque antes, se tentasse correr, logo logo ficava com dores nas pernas.

Posto isto, o mais complicado foi passar a barreira psicológica no sentido de me motivar e no sentido de introduzir um certo espírito de sacrifício para me permitir correr mais e mais tempo. Quanto à motivação agarrei-me questão de querer claramente perder peso e de que precisava de algo mais que simplesmente melhorar a alimentação (em 6 meses perdi por volta de 15 kg). Quanto ao espírito de sacrifício optei por colocar metas pequenas e forçando-me a cada dia as atingir (500m, 1.000m, 3.000m, 5.000m, 8.000m e finalmente 10.000m), é claro que a evolução se deveu á minha natura capacidade física e cardíaca que me permitiu evoluir muito rapidamente, mas a ideia inicial era de simplesmente me mover por 1hora, correndo aquilo que aguentasse.

 

CHEGASTE A FAZER PROVAS DE 10KM... QUANTO TEMPO NECESSITASTE ATÉ ATINGIR ESSE NÍVEL?

Sim fiz, creio que duas provas de 10km oficiais, e fiz outras de 6km e 8km. Mas principalmente fiz diversas vezes os 10km correndo nos meus treinos.

No meu caso, como disse anteriormente, apenas necessitei de motivação e espírito de sacrifício. Para mim a meta dos 10km surgiu por me sentir bem, no entanto não acho que deva ser aquilo que nos mova. Deveremos separar vontade de competir da vontade de estar melhor fisicamente. Se queremos fazer exercício para nos mantermos saudáveis, então o que nos deve mover é correr + andar durante uma hora. Isso é suficiente para nos manter saudáveis e ativos.

 

marginalanoite (2).jpg

 

(Uma das conquistas do Jaime, Marginal à Noite de 8km, abaixo dos 45 min!)  

 

UM DOS PRINCIPAIS MOTIVOS PELO QUAL MUITA GENTE SE INICIA NA CORRIDA É PELA QUESTÃO DA PERDA DE PESO… NOTASTE DIFERENÇAS?

Claramente que sim. A alimentação já tinha sofrido muitos e avultados ajustes…e essas alterações talvez me permitam manter o peso atual, mas correr foi essencial para gerar maior queima de calorias e me permitir reduzir de peso.

Assim, segundo minha experiência, se querem perder peso devem juntar exercício com ajustamento alimentar (não precisa de ser dieta rigorosa…basta uma alimentação diferente e mais equilibrada) e devem tentar fazê-lo a longo prazo, nada de reduções de peso excessivo em pouco tempo. Tenho uma hérnia, causada por excesso de peso suportado pelo meu corpo durante muitos anos e lembro-me o médico me dizer algo muito importante: “Perde 20 kg em 3 anos de forma faseada. Se o fizeres é porque ajustaste o teu nível de vida de forma correta”

PARA ALÉM DA CORRIDA... ALIASTE ALGUMA DIETA OU MAIS ALGUM TIPO DE DESPORTO PARA PERDER PESO?

O que fiz e que já vinha fazendo há algum tempo foi introduzir pequenos ajustes de alimentação. Comer várias vezes ao dia (já o fazia), usar a regras dos 3 terços (1 terço carne ou peixe + 1 terço arroz, massa ou batata + 1 terço de legumes ou saladas)…entre outros. Mas desde que comecei a correr em 2012 fiz duas grandes alterações. Primeira, comer sempre e sem falta o pequeno-almoço, para acelerar metabolismo e introduzir os hidratos do dia. Segundo, reduzir o consumo de hidratos nas refeições principais (almoço e jantar). No meu caso, optei por comer mais sopa e raramente nas refeições comer batata, massas ou saladas. Por motivos de saúde (colesterol e ácido úrico) também reduzi drasticamente o consumo de carne de porco. Mas garanto-vos, comia de tudo, e em todas as semanas havia refeições bem calóricas e ricas em gordura e hidratos :) …não o fazia era todos os dias.

 

ONDE PREFERES CORRER E PORQUÊ?

Prefiro claramente correr na rua, em ambiente florestado e fresco ou junto à praia. Mas atualmente por motivos de calendário opto por o fazer no ginásio.

O mais importante para mim é que não embarco em corridas de grupo. Percebo e aconselho como elemento motivador, desde que cada pessoa imponha o seu ritmo. Para mim correr trata-se de uma atividade solitária. Solitária porque me permite impor meu ritmo, concentrar num momento na passada e noutro na respiração e em não embarcar em conversas durante a corrida, o que alteraria o meu ritmo respiratório.

 

HOJE EM DIA QUANTAS VEZES CORRES POR SEMANA E EM MÉDIA QUANTOS KM?

Corro em média 2 a 3 vezes por semana e faço entre 10km a 15km semanais

 

A NÍVEL MENTAL... SENTES ALGUMA INFLUÊNCIA QUANDO CORRES? A NÍVEL DE STRESS, ETC...?

Não. Senti ao início enorme satisfação por conseguir ir cada vez mais longe, mas o meu foque foi sempre em me manter ativo e reduzir peso. Atualmente é no sentido de me manter ativo e saudável… ou mais saudável fisicamente.

 

ÉS DEFENSOR DE QUE A CORRIDA TENS OS SEUS BENEFICÍOS MAS TAMBÉM AS SUAS DESVANTAGENS... PORQUÊ?

Sim, claramente que sim. Acho que as pessoas se deixam viciar por este desporto, na maioria penso que por motivos psicológicos associados á satisfação em atingir metas.  Muitas vezes esse vício vem pela satisfação psicológica ao se atingir metas, mas devemos ter cuidado e contrariar essa necessidade de ir mais longe, porque estamos a criar problemas de saúde em vez de ficar bem e estaremos a encapotar outros eventuais problemas que tenhamos ao nível psicológico (insatisfação: falta de objetivos, etc etc). Isso é perigoso, levando a lesões e retirando também tempo para outras atividades lúdicas, seja sozinho ou com a família. Correr para manter saudável não implica muitas vezes por semana, nem precisa de ser nada acima dos 5 ou 8km. Devemos ter cuidado com o vício do desporto…sim, porque desporto também vicia.

Conheço inclusive muita gente que se iniciou na corrida pelos mesmos motivos…ou outros…e hoje em dia correm excessivamente, seja por demasiadas vezes por semana, ou seja por querem fazer meias-maratonas, com todos eles praticamente a terem problemas de saúde, lesões.

 

O QUE ACONSELHAS A RECÉM CORREDORES?

Definir claramente os seus objetivos, separando se quer correr por questões de saúde ou por competição. Se por saúde, opte por colocar apenas o primeiro objetivo (tempo é o ideal) não se exigindo a correr todo esse tempo e depois de atingido e sentir que está consistente, então marque o objetivo seguinte. Para mim o limite para corrida por questões de saúde é conseguir correr entre 30 a 60 minutos no máximo 3 vezes por semana.

 

ACONSELHARIAS O RUNNING PARA A PRÁTICA DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL?

Sim, desde que usado de forma correta e equilibrada

 

 

#CasosReais – Nádia Santos – Entrevista a Jaime Santos – Se ele consegue, tu também consegues!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D